BRISA

Devolvo a ti todo amor que possuo,
digo devolvo porque não posso dar o que não 
fiz senão herdar, já que não houve escolha.
Cubro-te com minhas promessas que 
embora poucas são o que tenho,
Apenas elas…
Travo comigo uma enorme 
batalha para não adorna-la 
com os clichês que o amor me pede, 
daqueles que todos os 
amantes dizem as duzias…
Para você não, você não merece 
menos que o inédito…
O que é metade não lhe cai bem
Você quem reescreveu meus 
dias de maneira terna
e que transmutou meus 
abismos em quietude
e minhas diligências em conquistas…
De olhos fechados repouso 
sobre seus braços porque
entre todas as certezas, 
a unica que me convém
é que de mim, teu por inteiro, 
seja feita apenas a tua vontade.
Autor: Luan Lary
© Direitos reservados
conforme artigo (Lei 9610/98)