De onde vem o socorro

Eu engulo o choro e finjo, ninguém precisa saber como eu estou por dentro. 
Já foi o tempo em que eu gritava, esperneava e tudo o que eu conseguia como consolo era as pessoas jogando na minha cara que eu era muito dramática. Eu passei a vida inteira brigando, falando, chorando. Agora só vou rir e fingir que tá tudo bem, que tá tudo no lugar, que o meu coração não dói e que a minha alma não está ferida. Tá tudo bem, depois de um tempo e uns tombos você aprende a se virar sozinha olhar pro alto e seguir Afinal, não é de lá que vem o socorro?!
Iara Almeida